Amor ao próximo

Por Ruiz

O post de hoje foi inspirado em uma mensagem de Facebook de uma amiga. Ela dizia “Hoje aprendi sobre o amor ao próximo. Não me ama? Ok, próximo”.

Queria falar sobre recomeçar. Talvez nem todos tenham passado pela oportunidade de viver um amor perdido, e posso dizer que é algo muito complicado e que já vivenciei algumas vezes. Aquele sentimento de fim-do-mundo, de ninguém me ama e ninguém me quer… Algumas vezes tomamos a iniciativa, ou a outra parte toma iniciativa. Ou a vida toma a iniciativa.

E a vida precisa continuar. Não podemos nunca nos prender ao passado, pois ele não deixa a vida continuar. Não há nada mais irritante do que conhecer uma pessoa que ainda não superou o final de um relacionamento passado. A fila precisa andar – ela sempre acaba andando.

Sei que é meio batido, mas a gente deve amar a sí mesmo, antes de qualquer coisa. Se algo não vai bem, acho que o diálogo é sempre o melhor caminho. E quando a gente é surpreendido pelo final de um relacionamento. Ok, próximo… Não somos como ilhas, precisamos de alguém por perto. E não pense que nunca mais vai encontrar alguém, por mais defeitos que você possa achar que tem.

É normal que a auto-estima fique comprometida nessa situação, mas é a hora de fazer a fila andar. Não vale a pena ficar em uma busca desesperada pelo próximo pretendente, dizem até que quanto a gente mais procura, menos a gente encontra. E isso não deixa de ser verdade.

Cuide de você mesmo, faça as coisas que lhe dão prazer e, principalmente, busque a paz interior. Não adianta tentar entender o que aconteceu, o que fez de errado, etc. Infelizmente, o amor para existir precisa de apenas uma pessoa. Mas para se tornar real, precisa ser correspondido.

Um beijo,
Ruiz

19 thoughts on “Amor ao próximo

    • agosto 15, 2011 em 3:05 am
      Permalink

      Oi Rafa,

      Realmente o amor próprio é tudo. Difícil manter ele quando uma relação termina, mas é preciso contar com a família e amigos nessa hora.

      Beijos e obrigado pelos elogios! 🙂

      Ruiz

      Resposta
  • agosto 13, 2011 em 7:02 pm
    Permalink

    Nossa Ruiz, concordo com vc em número, gênero e grau..

    Parabéns pelo excelente post desta semana ..

    Um beijo..

    Resposta
    • agosto 15, 2011 em 3:01 am
      Permalink

      Olá Isa!

      Obrigado pelo carinho!

      Beijo,

      Ruiz

      Resposta
    • agosto 16, 2011 em 3:11 am
      Permalink

      Oi Jani!

      Eu gosto de falar sobre os sentimentos mais íntimos do ser humano. E acho que esse é um dos meus sentimentos preferidos!

      Obrigado pelo carinho de sempre!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
  • agosto 15, 2011 em 4:13 pm
    Permalink

    Amei esse texto, perfeito. Qdo um relacionamento acaba, realmente a sensação é de fim de mundo. Mas graças a Deus o tempo cura tudo, e até esse sentimento que parece que vai durar pra sempre acaba.
    Beijos
    Lili
    http://peruasemacao.blogspot.com/
    @Peruas_em_Acao

    Resposta
    • agosto 16, 2011 em 3:17 am
      Permalink

      Oi Lili!

      Gosto de uma música que diz “Love heals” (o amor cura). Sei que é uma frase meio capenga, de final de novela, mas nada como um amor para curar outro. A fila tem que andar!

      Já dizia meu pai: Tudo vai passar. Por menos chão que pareça existir sob os nossos pés, uma hora a gente fecha os olhos, respira fundo e sente que tudo voltou ao normal. E aí, é continuar a vida!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
  • agosto 16, 2011 em 4:19 am
    Permalink

    As coisas sempre mudam e a gente tem que acompanhar, não pode parar. Amar, gostar, adorar, enfim, cada relacionamento a sua intensidade mas tem que existir e a gente tem que passar mesmo por certas coisas e em primeiro lugar se gostar e se amar muito.
    Ruiz, parabéns pelo texto. Adorei.
    bjo,
    Juliana.

    Resposta
    • agosto 17, 2011 em 12:38 am
      Permalink

      Oi Juliana!

      Que surpresa receber sua visita! Obrigado pelo carinho!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
    • agosto 17, 2011 em 12:42 am
      Permalink

      Oi Thaís,

      É verdade! O primeiro, único e verdadeiro amor é o amor próprio. E se a gente não cuida dele, a gente pode até perder ele! 🙂

      Obrigado pelo carinho!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
    • agosto 17, 2011 em 12:43 am
      Permalink

      Obrigado pela visita, Vivi!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
  • agosto 17, 2011 em 8:55 pm
    Permalink

    Olá,,,
    Amei seu blog.
    E este texto é muito válido também.
    Nunca é demais lembrar que devemos nos amar antes de qualquer coisa.

    Resposta
    • agosto 19, 2011 em 12:41 am
      Permalink

      Oi Ana!

      Obrigado pela sua visita!!

      Beijos,

      Ruiz

      Resposta
  • setembro 19, 2011 em 2:44 pm
    Permalink

    Bom dia!

    Ruiz,

    Amei vc, não é so apenas numa relação, mas na vida mesmo, temos que nos amar, para amar, mar tudo em nossa volta, principalmente agradecer todos os dias por tudo que temos e todos que temos.

    Tenha uma semana de amor e que seja iluminada!

    Fique com Deus!

    Bacione no seu coração iluminado.

    Daniel

    Resposta
  • Pingback: Quando eles não querem compromisso, mas ficam controlando a sua vida « TodaBeleza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: